Lendo agora
10 startups de moda para conhecer e se inspirar

10 startups de moda para conhecer e se inspirar

Mulher sentada em frente ao computador, aparentando ser uma empreendedora.

As chamadas startups tiveram um boom na década de 1990 no Vale do Silício, região da Califórnia, Estados Unidos, e têm como objetivo fomentar inovações tecnológicas em determinada área. Hoje, você vai conhecer 10 startups de moda que podem ocasionar bons insights ao seu negócio.

O futuro da moda foi totalmente impactado por causa da pandemia. A prioridade das pessoas mudou e, consequentemente, as tendências de consumo também.

Comprar de forma acelerada e sem motivo, atitude ocasionada especialmente pelas cadeias de fast fashion, não funciona mais. Os próximos passos das passarelas não serão tão rápidos assim e devem, cada vez mais, priorizar o conforto, a qualidade, a sustentabilidade e o online.

Conhecer a história de 10 startups pode ajudar a sua empresa a encontrar ideias de criatividade e inovação na moda que se encaixem no seu modelo de negócio.

1. Argent

A nossa primeira inspiração para você é a Argent, uma das mais conhecidas startups internacionais no setor da moda.

Fundada por Sali Christeson, em São Francisco, a Argent tem como objetivo resolver uma situação que é frustrante para muitas mulheres: a falta de roupas de trabalho estilosas e funcionais.

Normalmente, grande parte das roupas vendidas no setor business é voltada ao público masculino ou possui cores neutras, como preto e azul escuro. Na Argent, há espaço para cor e criatividade.

Voltada àquelas mulheres que esbanjam poder e confiança, a startup de Christeson encontra no empoderamento feminino o próprio sucesso, já que realiza atividades como oficinas de carreira, abordando assuntos de gestão pessoal e finanças.

Mulher negra vestindo look da Argent e mexendo no cabelo.
Em fevereiro de 2019, o cofundador do PayPal, Peter Thiel, investiu US$ 4 milhões na marca. Foto: Reprodução/Facebook.

2. BagHome

Nascida no Piauí, a BagHome é um canal de vendas voltado para o varejo que tem como objetivo conectar os lojistas de moda aos clientes finais, oferecendo um serviço de consultoria de imagem e estilo. 

Ao acessar a plataforma da startup, primeiramente o cliente precisa cadastrar uma série de informações sobre gostos pessoais, estilos e medidas, por exemplo. Depois, ele passa a ter acesso a uma vitrine virtual personalizada.

Todos os itens presentes na curadoria e disponibilizados na BagHome podem ser enviados para a casa do cliente e testados por dois dias ou, se ele preferir, existe ainda a possibilidade de agendar uma visita às lojas conveniadas na plataforma;

3. Black Purpurin

A tendência 3D não ficou longe da moda e a startup de Santa Catarina, Black Purpurin, tem feito história criando e comercializando bolsas, sapatos e acessórios utilizando-se da tecnologia.

Idealizada por Raquel Souza, a Black Purpurin surgiu de uma necessidade dela própria de encontrar uma bolsa que se adequasse ao seu gosto pessoal. Foi então que ela iniciou a trajetória, apenas com um alicate, um cortador e assistindo vídeos na internet.

Não por acaso, o lema da empresa é “Acreditar na vida, nas pessoas e num futuro promissor”.

Hoje em dia, a Black Purpurin produz bolsas com bioplásticos provenientes do milho e da mandioca, cujo período de decomposição é menor que o do plástico comum.

4. Dume

Após observar as diversas necessidades e carências dos setores de moda, empreendedorismo e economia criativa, Dani Gábriél decidiu ajudar outras marcas por meio da Dume, uma startup paulista que presta consultorias focadas em ações de sustentabilidade na hora de modelar e gerir negócios, e também para desenvolver produtos.

Tudo isso prezando pela transformação, empreendimento consciente, consistente e sustentável, a fim de atingir resultados que sejam significativos para o negócio.

5. Eurekalab

A EurekaLab utiliza do crowdsourcing para aproximar marcas e uma comunidade de pessoas criativas e talentosas, sejam estudantes ou profissionais formados, visando solucionar demandas sobre ideação, prototipagem, branding e embalagem de produtos.

Na plataforma online da startup, empresas e “criativos” de diversas áreas (designers, arquitetos, engenheiros, inovadores, inventores, entusiastas), como são chamados os profissionais, podem realizar um cadastro e encontrar a solução que buscam.

6. Figurini

A Figurini, das sócias Natália Melo Campos e Priscila do Carmo Silva, trouxe para o mercado da moda soluções envolvendo humanização, personalização e atendimento online.

A startup funciona como uma espécie de shopping eletrônico e digital stylist, ou seja, quem produz, vende, e quem quer comprar, recebe orientações sobre os produtos a partir do preenchimento de diversas informações, como estilo, hobbies e características físicas, para que sejam indicados produtos que se enquadrem àquele perfil.

O mais impressionante é que as roupas podem ser provadas online, em um avatar cujas medidas correspondem às informadas pelos usuários.

7. Line Ateliê Criativo

Resultante da união de duas amigas designers, Aurijanne Arruda e Jessica Souza, que sonhavam em viver novas experiências nos processos de moda no setor industrial após se formarem na área, a Line Ateliê Criativo nasceu com a intuição de proporcionar para outras empresas de confecção brasileiras essas novas descobertas.

Veja também
marketing-digital-para-moda

Na startup das garotas, novas ideias ganham vida por meio do design e empresas mais tradicionais participam de consultorias em busca de inovações.

Mulher negra palestrando em evento, enquanto segura microfone e olha para telão.
Startup auxilia no desenvolvimento de coleções, modelagens, prototipagem e editorial de moda. Foto: Reprodução/Facebook.

8. Moda Limpa

Ativismo e moda caminham juntos na Moda Limpa. Fundada pela paulistana, estilista, professora e pesquisadora, Marina de Luca, a startup sustentável trabalha os impactos do setor na vida das pessoas e no mundo.

Atualmente, oferece cursos online e presenciais sobre moda e sustentabilidade, consultorias com foco em melhorias estratégicas e realiza palestras e eventos dentro de empresas sobre moda e consumo consciente.

9. Nasi

“Um novo jeito de comprar e vender moda”. É assim que a própria Nasi se define, uma startup de comunicação e tecnologia responsável pela publicidade e propaganda de empresas do Polo de Confecções do Agreste e Região.

Com a ideia de criar soluções digitais que conectem fabricantes de moda e lojistas de forma fácil e intuitiva no modelo de negócios B2B, a startup auxilia essa relação por meio de aplicativos para celular, sites e outras plataformas.

Entre as demais atividades oferecidas pela startup, há também mapeamento indoor, branding e produção de fotos.

10. Tesourinhas

Por fim, nossa última dica é a Tesourinhas. Diretamente de Brasília, o foco da startup leva uma pegada mais prática, oferecendo cursos de aprendizagem flexível em modelagem e ajudando novos designers e marcas da capital federal a tornarem seus projetos reais.

Assim como a Eurekalab, a Tesourinhas também conta com um banco de profissionais e intermedeia o contato entre eles e possíveis clientes.

Juntas, todas essas empresas focadas em inovação têm demonstrado que, sim, é possível transformar o setor em suas diversas dimensões, sejam elas a nível mundial ou simplesmente regional. Por isso, não tenha medo de buscar novas ideias e inspirações

Aproveite também para assinar a newsletter da Digitale Têxtil e receber mais conteúdos como este diretamente no seu e-mail. Assim, você não perde nenhuma das nossas dicas sobre tendências e mercado e pode começar a transformar o futuro do seu negócio agora mesmo.


0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

Comentários

Comentários (0)

Deixe seu comentário.

Seu e-mail não será publicado.

Voltar para o topo