Lendo agora
Processo criativo no design de moda: como explorar o seu?

Processo criativo no design de moda: como explorar o seu?

Designer explorando o processo criativo no design de moda.

Quando falamos de roupas e peças de vestuário, nos referimos a um trabalho que acontece em diversas etapas. Algumas vezes, o modelo já chega pronto na pequena ou média confecção para ser produzido. No entanto, é possível desenhá-lo do zero conhecendo o processo criativo no design de moda.

Se você quer descobrir o que é isso, como desenhar roupas, no que se inspirar e, quem sabe, até criar uma nova coleção, continue a leitura e conheça mais sobre moda e criatividade.

O que é processo criativo?

Antes de mais nada, é importante esclarecer que o processo criativo não se limita ao mundo da moda. Na verdade, ele pode ser adaptado para diversas áreas na hora de estruturar ideias para um projeto.

Para que esse processo seja mais organizado, o ideal é que ele seja guiado por etapas. Assim, por meio do fomento da criatividade individual ou coletiva da equipe, opiniões, ideias e soluções serão levantadas.

Durante ele, não tem certo ou errado. Tudo que for pensado é válido, como em um brainstorming, e deve ser anotado para ser avaliado de acordo com as necessidades. 

Processo criativo para o design de moda

No processo criativo do design de moda, podemos exemplificar a definição acima como o ato de elencar modelos, cores, estampas, tendências, tecidos e o que mais for ser usado na hora de definir como criar roupas.

Para guiar melhor esse trabalho, podemos definir algumas etapas a serem seguidas. Confira!

Briefing

A primeira parte do processo é a definição do que será feito, qual exatamente é o problema de design a ser solucionado. Pode ser, por exemplo, definir a nova coleção de moda que será criada ou desenvolver peças que atendam a um novo público.

É uma etapa mais sucinta e que guiará as informações coletadas e levantadas nas próximas ações.

Pesquisas 

Na hora de fazer a pesquisa do seu processo criativo de moda, elenque informações que podem te ajudar a ter um direcionamento inicial. São elas:

1. Histórico de atividades

Observe o que já foi feito, o que deu certo e o que precisa ser aprimorado. Em caso de coleções passadas, volte sua atenção para o que vendeu mais e compreenda as razões – se foi a estampa, a cor, o modelo ou até o preço da peça.

2. Público-alvo

Tenha em mente quem será atingido e para quem aqueles produtos serão desenvolvidos. Assim, você direciona todo o projeto com mais excelência e não corre o risco de fazer para um público mais reservado roupas muito ousadas, por exemplo.

3. Mercado e consumo

Faça uma pesquisa rápida do que está sendo consumido e buscado pelo público definido. Assim, você desenha peças que atenderão às expectativas dos seus consumidores.

4. Concorrência

Dupla de mulheres analisando os dados para continuar com o processo criativo no design de moda.
Analise seu público, sua concorrência e o mercado na hora de liberar o processo criativo.

Elenque quem são seus concorrentes diretos e indiretos. Dessa forma, você consegue realizar benchmarkings para reunir ideias, analisar ações assertivas e, inclusive, pontos de melhoria nos seus processos e criações.

5. Tendências

Pesquise as tendências da coleção. Olhe grandes marcas, desfiles, leia sobre o que está sendo idealizado para o futuro da moda e, inclusive, sobre como o público-alvo se relacionará com os lançamentos. 

Por exemplo, atualmente, falamos sobre moda sustentável e consumo consciente. Esses dados com certeza devem ser levados em consideração na hora de ter ideias e selecionar os tecidos e malhas.

6. Objetivos

Defina o principal objetivo do que está sendo criado. É auxiliar no branding da marca, ser um sucesso de vendas ou criar uma tendência nova no mercado? Com isso em mente, as próximas etapas serão mais simples.

7. Orçamento 

Tenha em mente quanto poderá ser gasto para ter ideias que sejam coerentes com o que poderá ser feito. Caso contrário, energia e tempo podem ser desperdiçados.

8. Prazos e cronogramas

O último passo das pesquisas é definir os prazos para cada entrega. A partir deles, os modelos, croquis e até as peças finais serão entregues.

Não é incomum que a etapa de pesquisas seja unida ao briefing em empresas e confecções nas quais a primeira parte do processo é mais completa e guiada por perguntas. 

Clique para baixar o ebook sobre indústria 4.0 e o setor têxtil.

A dica, nesse caso, é decidir o que faz mais sentido para o seu negócio. Caso a equipe que decide o que será desenvolvido não seja a mesma que fará os estudos, deixe as etapas separadas para uma melhor organização.

Para finalizar a fase de pesquisas, crie um documento com todas as informações coletadas – inclusive com as tendências e inspirações reunidas. Assim, tudo se torna mais visual e o próximo passo fica mais simples.

Geração de ideias

Tendo o objetivo do processo criativo e as informações para guiá-lo, é hora de pensar nas ideias e soluções. Essa é parte é importante porque é nela que, de fato, as peças serão idealizadas. 

Como resultados dela, é importante que as seguintes ideias sejam desenvolvidas:

1. Cartela de cor e de materiais

Defina todas as cores e materiais (tecidos, linhas, pedrarias e outros) que vão compor as peças criadas. Nesse ponto, é importante se lembrar do orçamento máximo definido para a coleção.

2. Moodboard

Moodboards de marcas que auxiliaram no processo criativo do design de várias coleções.
Moodboards da Ellus (à esquerda), da UMA (à direita e acima) e do Lenny Niemeyer (à direita e abaixo). Foto: Reprodução | Vogue

Também chamado de prancha de temperamento ou de tabela de referências, o moodboard é um espaço, seja ele virtual ou físico, no qual serão reunidas as principais inspirações para o projeto de moda que está sendo desenvolvido.

3. Croquis

Os desenhos e protótipos das peças precisam ser criados na etapa de ideias. Claro, sempre levando em consideração as informações levantadas durante a pesquisa.

4. Desenhos técnicos

Por fim, faça os shapes, os moldes, as estampas – se for o caso –, o design de superfície, selecione as cores e deixe tudo pronto para a etapa de desenvolvimento.

5. Desenvolvimento

A última parte do processo criativo no design de moda é o desenvolvimento. Uma dica importante é começar sempre pela peça piloto, ao invés de já partir para a fabricação. 

Veja também
desfile-de-moda-praia

Assim, você testa se o que idealizou é aplicável e não corre o risco de desperdiçar material na produção. Após os protótipos serem feitos e aprovados pela equipe, é, enfim, hora de produzir para comercializar.

Em que se inspirar durante o processo criativo?

Por mais que as etapas listadas existam e sejam importantes, como o próprio nome sugere, esse processo é sobre criatividade e moda. Portanto, contar com boas inspirações, fontes e referências é muito importante.

Afinal, não podemos esquecer que, na hora da venda, estamos falando sobre expressão e personalidade. Logo, levar esses pontos para suas peças é muito importante. 

Separamos, a seguir, algumas dicas para conseguir boas referências na hora de criar suas roupas. O segredo é realizar pesquisas em pelo menos duas delas.

Moda no Instagram

Todas as grandes marcas e nomes do mundo da moda estão no Instagram. Logo, segui-las é uma atividade constante de armazenamento criativo de referências. 

Além de acompanhar perfis de vestuário, busque aqueles que falam sobre cores, comportamentos de compra do seu público-alvo e até desenhistas e cartunistas, para consumir novos traços diariamente.

Ideias no Pinterest

O Pinterest é, provavelmente, a rede social com mais ideias, referências e inspirações atualmente. Com foco total em imagens, é uma das primeiras redes sociais a estamparem tendências no mundo da moda.

Clique e acesse o Pinterest da Digitale Têxtil para se inspirar.

Sites, revistas e jornais

As revistas e jornais físicos perderam a força com o fortalecimento do marketing digital. O que facilita muito na hora de rechear o cérebro de ideias!

Acompanhar revistas virtuais e sites que falam sobre moda – como o Style du Monde, o The Style Talker e o blog da Digitale Têxtil, inclusive, é fundamental. Neles, as novidades e fotografias de desfiles e coleções saem em primeira mão.

Consuma diferentes gêneros artísticos

Moda é arte. E, como toda forma de expressão, ela se fortalece no contato com outras. Assistir documentários de moda, filmes, séries, desfiles e ler livros sobre a temática vai ajudar muito na hora de criar. 

Quanto mais conteúdo você consome, mais expande seus horizontes. E, no final, criatividade é intrínseca ao seu conhecimento de mundo.

Antes de começar o processo criativo da sua coleção de moda, é importante se atentar às etapas aqui descritas e listar quais serão suas grandes inspirações. No entanto, é fundamental se lembrar de que o que você desenha precisa agradar você e ao consumidor!

Assim, o projeto será prazeroso e dinâmico. Para otimizar tempo e ficar de olho nas últimas dicas e tendências do segmento, se inscreva na newsletter da Digitale Têxtil e receba as novidades diretamente no seu e-mail!


0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

Comentários

Comentários (0)

Deixe seu comentário.

Seu e-mail não será publicado.

Voltar para o topo