Lendo agora
Moda artesanal: sustentabilidade e criatividade em ação

Moda artesanal: sustentabilidade e criatividade em ação

Na contramão do fast fashion e da banalização dos processos de produção, encontramos a moda artesanal. Pautada no apreço do trabalho manual, na valorização das culturas originárias e nas prerrogativas da sustentabilidade, o handmade é o encontro de criatividade, sentimentalismo, História e resistência.

Neste post você confere o conceito de moda artesanal, como ele se alinha à práticas sustentáveis, além de dicas para investir no movimento e exemplos de marcas artesanais. Boa leitura!

Banner Moda e consumo: previsões 2021/2022

O que é moda artesanal?

A moda artesanal é aquela que reconecta a produção de roupas e acessórios ao trabalho humano e manual. Tal movimento, ao imprimir identidade e raízes culturais às peças, também valoriza uma moda desacelerada, baseada nos princípios do slow fashion.

Técnicas como crochê, bordado, tricô e tingimento natural são alguns dos exemplos que fazem parte da tendência. Em 2020, o craftcore — valorização de atividades manuais tanto na moda, além de outras áreas como a arquitetura — foi grande aposta nas semanas de moda brasileiras e mundiais, e por bons motivos.

Diante de um cenário de afastamento social, insegurança e medo, gerado pela pandemia, a moda que valoriza o trabalho manual, o toque e o sentimentalismo, se destaca muito. A banalização das produções massivas e aceleradas já não cria conexão com o consumidor, sobretudo em um mundo onde o contato físico e emocional é tão desejado.

Ao mesmo tempo, o handmade envolve um senso de exclusividade e consciência. Afinal, nenhuma peça produzida pelas mãos de alguém será exatamente igual à outra. Além do mais, esse apreço pela desaceleração significa o respeito do tempo de quem trabalha e da natureza. Aqui, não há exploração de recursos, porque os produtos são produzidos em baixa escala.

Moda artesanal tricô, crochê, bordado
Crochê, tricô e bordados são alguns dos pilares da moda artesanal que valorizam o trabalho manual e desacelerado.

Consequentemente, a moda artesanal sustenta um movimento pessoal, criativo, que promove identidade e valorização histórica em cada peça. 

Pense bem: todos nós, em algum momento da vida, tivemos contato com bordados, tricôs e afins. Pode ter sido por meio de nossos avós, pais, conhecidos, ou até mesmo ao visitarmos cidades e culturas diferentes das nossas. O artesanato é uma arte milenar.

Moda artesanal e sustentabilidade

Já mencionamos que o handmade respeita os processos naturais e desacelerados do trabalho humano e do meio ambiente. Portanto, estamos inevitavelmente falando de um movimento sustentável. No entanto, não para por aí.

O trabalho artesanal preconiza a criação de peças ricas em detalhes, únicas e duráveis. Trata-se de uma roupa feita para ser passada de geração a geração. Também está muito conectado à valorização das culturas indígenas, onde o trabalho manual e o artesanato são centrais e essenciais.

Em outras palavras, a moda artesanal acompanha o fluxo da natureza e expressa raízes culturais que foram banalizadas com a popularização do fast fashion. Além disso, iniciativas eco-friendly, por parte dos empreendedores e designers, são bastante comuns nesse meio.

Investimento em tecidos sustentáveis e de qualidade no desenvolvimento de peças duráveis, uso de fibras e tingimento natural, produção em baixa escala, tudo isso faz com que a moda artesanal também seja uma moda sustentável.

Como aderir?

Por mais que sua marca não seja focada em produção artesanal, é possível inseri-la em produtos e coleções. Dessa forma, você valoriza uma arte antiga e necessária, ao mesmo tempo que acompanha tendências do mercado.

Antes de mais nada, esteja atento aos processos. Se o significado da moda artesanal está no trabalho manual, valorize quem produz suas peças. Respeite o tempo que eles levam para produzi-las. Como mencionado anteriormente, o handmade é desacelerado e precisa ser assim. São essas características que imprimem a personalidade nas roupas, além da riqueza de detalhes.

Pessoa tricotando
Para inserir a moda artesanal em suas confecções, é preciso respeitar o tempo de produção manual e desacelerado, que resulta em uma peça rica em detalhes e personalidade.

Considere a utilização de recursos sustentáveis, como fibras recicladas e tingimento natural, seja na produção de roupas artesanais femininas, masculinas ou infantis. A valorização do trabalho artesanal está principalmente na compreensão de seus princípios e no respeito dos mesmos.

Banner Ciclos de Moda

Marcas de moda artesanal

Agora que você já sabe o conceito e como apoiar o movimento, confira três marcas que valorizam a moda handmade.

1. Gioconda Collective

A Gioconda Collective é uma marca de lingeries artesanais. O manifesto da lab reforça o respeito à natureza, a valorização da autenticidade, da criatividade, da sabedoria ancestral, do feminino e da conexão.

A empresa utiliza fibras naturais na confecção de seus produtos e prega a pausa como pilar de criação. Ou seja, trata-se de uma empresa preocupada em aderir aos movimentos desacelerados, que questionam os poderes hegemônicos, que desrespeitam as mulheres e a Mãe Terra.

Veja também
Foto de um prédio projetando o desfile de uma mulher durante o São Paulo Fashion Week.

Lingerie Gioconda Colective
A Gioconda Collective desenvolve lingeries artesanais que enaltecem o sagrado feminino. | Imagem: Reprodução/Gioconda Collective

2. Martha Medeiros

Martha Medeiros é uma estilista que desenvolveu sua marca a partir da renda. Quando criança, nos anos 1960, sua avó a incentivou a observar a natureza e dela se inspirar.

Anos mais tarde, ao empreender no setor, a designer baseou sua produção na renda nordestina feita à mão. Além desta produção, realizada por artesãs de comunidades do Nordeste, Martha aliou tecidos luxuosos para conferir a identidade de sua marca.

A empreendedora também possui o Projeto Olhar do Sertão, que faz parte do Instituto Martha Medeiros. A iniciativa emprega e auxilia rendeiras nordestinas, promovendo uma possibilidade de transformação na vida de mulheres por meio do artesanato.

Marca de moda artesanal Martha Medeiros
Com o uso da renda nordestina, produzida por rendeiras da região, Martha Medeiros inseriu a moda artesanal em sua marca de luxo. | Imagem: Reprodução/Martha Medeiros

3. Flor de laranjeiras

Tendo a natureza como elemento principal em sua confecção, a marca Flor de Laranjeiras produz acessórios diversos, como pulseiras, anéis, colares e até mesmo chapéus. O projeto começou com peças para presentear amigos, mas logo se tornou o empreendimento de Camila Crus, responsável pelo desenvolvimento de cada item.

Todos os acessórios são confeccionados manualmente pela própria Camila. As peças enaltecem a transformação do feminino e o culto à natureza, protetora e cuidadora.

Brinco Flor de Laranjeiras
Com produção artesanal, feita por Camila Crus, a Flor de Laranjeiras enaltece a natureza e o feminino em seus acessórios. | Imagem: Reprodução/Flor de Laranjeiras

A moda artesanal mostra a importância de valorizar raízes culturais, repensar os métodos de produção, enaltecer o trabalho manual e a criatividade. Trata-se de criticar a banalização, a pressa e o imediatismo que são fruto da era digital.

Em meio à incertezas e desafios, devido à situação pandêmica, iniciativas que prezam pela desaceleração e cuidam da saúde do planeta são muito bem-vindas. 

Se você tem uma loja de roupas sustentáveis ou quer entender mais sobre as transformações do setor, vale a pena compreender movimentos como a moda artesanal.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como esse, além de conhecer os produtos da Digitale Têxtil? Assine nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo:


0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

Comentários

Comentários (0)

Deixe seu comentário.

Seu e-mail não será publicado.

Voltar para o topo