Lendo agora
Craftcore: a tendência que está bombando na pandemia

Craftcore: a tendência que está bombando na pandemia

Imagem de uma bolsa feita de modo artesanal.

De 2020 para cá, após a pandemia do coronavírus, muitas pessoas precisaram buscar formas de distrair a mente e preencher o tempo que cumpriram de isolamento social. Na internet, foi possível acompanhar os usuários compartilhando a descoberta ou o aperfeiçoamento das mais variadas atividades, entre elas o craftcore.

Você já ouviu falar? Se não, não se preocupe! Continue a leitura deste texto para descobrir mais sobre essa arte que ganhou força a partir da busca por trabalhos manuais e por um estilo de vida mais confortável e intimista.

No entanto, antes, te convidamos a dar um pulo ao passado e entender melhor o desenvolvimento da moda artesanal, a mãe do craftcore.

Sobre a moda artesanal

Ao redor do mundo, o que não falta e nunca faltou é diversidade no criar e no fazer. Desde a antiguidade, os muitos povos espalhados pelos quatro cantos do Globo buscaram formas de atender as necessidades que possuíam ou apenas de registrar aquilo que tinham de mais sagrado: suas próprias raízes.

Acontece que, especialmente no vestir, muitas dessas questões eram resolvidas ou concluídas por meio do artesanato.

Com uma sabedoria única, esses grupos sociais começaram a desenvolver figurinos que se tornaram a base para o que, hoje em dia, chamamos de peças handmade, ou seja, roupas criadas à mão.

Contudo, esse desenvolvimento foi se desmembrando e dando origem a diversas técnicas específicas, entre elas o craftcore.

Imagem de uma mulher segurando roupas feitas a partir do crochê.
A produção artesanal deu origem ao craftcore, técnica que tem encantado as novas gerações.

O que é craftcore?

Se você é de uma época da internet onde os vídeos de Do It Yourself (DIY), os famosos “faça você mesmo”, estavam em alta, saiba que a premissa inicial do craftcore é exatamente essa: criar a partir de peças não apenas de roupas necessariamente, mas também acessórios e objetos, colocando a mão na massa!

O grande diferencial desse segmento é que, muito além de apenas trazer de volta as roupas bordadas, ele também se preocupa em promover uma moda sustentável a partir do reuso de materiais já existentes e da diminuição do consumo de roupas feitas em grande escala pela cadeia de fast-fashion, o chamado upcycle.

E, diferentemente do que muitas pessoas podem pensar: não, esse estilo não é coisa de vó! Não apenas, pelo menos. Isso porque a Geração Z, que engloba os nascidos entre a segunda metade dos anos 1990 até o início do ano 2010, tem sido uma das maiores propulsoras do estilo nos últimos anos.

Há ainda uma outra explicação que justifica o interesse no craftcore: as alterações que a pandemia e outros acontecimentos ocasionaram nos perfis de consumidores existentes.

Imagem de um biquíni azul e amarelo em cima de uma grama verde.
A busca pelo simples e pelo sustentável é uma das premissas do craftcore.

No relatório Consumidor do Futuro 2022, produzido anualmente pela WGSN, é possível encontrar diversos perfis, entre eles os Comunitários. Para esse público, a preocupação está em redefinir a forma de viver, prezando pelas raízes comunitárias, cujos interesses estarão diretamente ligados a lojas e iniciativas que proporcionem um viés sustentável e comunitário.

Seguindo esse caminho de transformações, os consumidores vão começar a prezar ainda mais pelo simples. 

Não por acaso, depois do boom de criar com o Tie Dye, agora é a vez do crochê, do bordado e da colagem ganharem seu lugar ao sol na moda artesanal brasileira e mundial… quer dizer, o seu lugar no guarda-roupa!

Crochê

Nada é tão nostálgico quanto roupas de crochê. Elas fizeram parte da infância de quase toda criança. No entanto, agora fazem a alegria e o estilo de corpos adultos entre homens e mulheres.

Algumas famosas brasileiras, como Rafa Kalimann, se tornaram fãs da tendência e não se cansam de desfilar por aí com diferentes peças confeccionadas a partir da técnica, sejam elas croppeds, vestidos, biquínis, blusas de frio, etc.

Veja também
séries sobre moda

Rafa Kalimann utilizando, respectivamente, biquíni e cropped de crochê.

Rafa Kalimann utilizando, respectivamente, biquíni e cropped de crochê.
Rafa Kalimann utilizando, respectivamente, biquíni e cropped de crochê. | Foto: Reprodução/Instagram.

Bordado

O bordado é outra variedade do craftcore que tem se fortalecido, abrangendo desde camisetas básicas até mesmo o jeans de jaquetas e calças.

Mulher vestindo uma calça jeans bordada.
Peças de roupas jeans bordadas são uma das tendências do craftcore. | Foto: Reprodução Pinterest/Flávia Evangelista.

Colagem

Já na colagem, também conhecida como patchwork — construção de uma peça a partir de diferentes tecidos — , a criatividade e a versatilidade não ficam de fora. Essa outra forma de trabalho artesanal também está associada ao craftcore e tem sido sucesso até mesmo nas passarelas de grandes eventos da moda, como o Paris Fashion Week e o São Paulo Fashion Week.

Peça da coleção de verão 2022 da Moschino.
Peça da coleção de verão 2022 da Moschino. | Foto: Reprodução/Fashion Foward.

Craftcore para além do Instagram

Acompanhar as notícias sobre a pandemia que afligiu diversos países foi uma tarefa árdua nos últimos tempos. Mas se há alguma beleza na dor, é o poder que ela tem de ser transfigurada em arte.

Sendo a moda uma expressão artística, encontrar lugar para essa sabedoria da produção artesanal, que foi sendo passada de geração para geração, em um mundo moderno e tecnológico, apesar dele mesmo, se fez necessário.

Muito além de ser algo “instagramável”, o craftcore tem sido uma forma de reconexão com o interno e o externo. Um acalento. Um carinho na alma.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de mais novidades e tendências fashions? Assine a nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo e receba todas as novidades diretamente na caixa de entrada do seu e-mail. Moda também é conhecimento!


0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

Comentários

Comentários (0)

Deixe seu comentário.

Seu e-mail não será publicado.

Voltar para o topo