Lendo agora
Arquitetura têxtil: uso de tecidos além da moda

Arquitetura têxtil: uso de tecidos além da moda

arquitetura têxtil

Se tem uma característica que é específica dos tecidos, é a versatilidade. Com eles, as possibilidades de criação são infinitas. Mas, e nos ambientes, é possível usar tecidos para decorar e até estruturar espaços? Para a arquitetura têxtil, sim!

Datado há mais de 35 mil anos, o material utilizado pelo homem nos primórdios daquilo que conhecemos como habitação eram ramos de árvores e peles de animais, as mesmas coisas usadas para proteger o corpo durante os diferentes climas.

Com a evolução da nossa espécie e após revoluções industriais, responsáveis por fortalecer diversas tecnologias, o valor social do tecido nos dois últimos séculos tornou-se significativo.

Atualmente, muito além das passarelas e das vitrines, as diversas bases e estampas de tecidos têm conquistado a Arquitetura, seja na criação de estruturas com membranas de poliéster/PVC (fibra sintética mais consumida no Brasil) e lonas; e a Arquitetura de Interiores, cuja responsabilidade é decorar ambientes, como casas, apartamentos, lojas e escritórios, unindo necessidade e estilo.

Projetos de arquitetura têxtil

Seja em obras esportivas, industriais, culturais ou comerciais, os tecidos podem ter sua aplicabilidade em coberturas, claraboias, fachadas, marquises e esculturas. Veja alguns exemplos de projetos de arquitetura têxtil.

Coliseu

Não, a arquitetura têxtil não é mérito da era moderna. Construído pelos romanos 80 d.C, o anfiteatro Flavius, conhecido como Coliseu, tinha um toldo retrátil de linho chamado de Velarium

Apoiado por 240 mastros, o objetivo era proteger os espectadores do sol e da chuva.

Reconstrução em 3D do Coliseu.
Reconstrução em 3D do Coliseu.

Aeroporto Internacional de Denver

Inaugurado em 1995, nos Estados Unidos, o Aeroporto Internacional de Denver, Colorado, é considerado o quinto mais movimentado da América do Norte.

Ele é formado por uma estrutura chamada de conoide, composta por membranas tensionadas de fibra de vidro. A ideia foi remeter às montanhas rochosas que são comuns naquela região.

Aeroporto Internacional de Denver.
Aeroporto ocupa 130 quilômetros quadrados, o que corresponde a quase duas vezes a área de Manhattan.

Teatro de Arena Elis Regina

No Brasil, é possível encontrar grandes e impactantes obras feitas com membranas tensionadas. Contudo, as mais comuns são as temporárias e de pequeno porte.

Uma obra simples e permanente que merece destaque é o Teatro de Arena Elis Regina, localizado em Americana (SP). Inaugurada no ano de 1981, a obra possui capacidade para abrigar 930 pessoas sentadas, tem dois camarins, quatro banheiros e um total de 1.448 m² construídos.

Porém, o teto que lembra um local de espetáculos, como um circo, só foi colocado após uma revitalização realizada em 2004.

Teatro de Arena Elis Regina, em Americana, São Paulo.
Revitalização rendeu aos profissionais envolvidos o 1º lugar na categoria “Arquitetura na Cultura” do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).

Domo do Milênio

A arena multi-esportiva, Domo do Milênio, foi projetada pelo arquiteto Richard Rogers e custou cerca de 850 milhões de libras.

Esse ícone da arquitetura já recebeu artistas como Madonna, Beyoncé, Lady Gaga, Enrique Iglesias e muitos outros, além de ter sido palco de algumas competições do Jogos Olímpicos de Londres de 2012.

Domo do Milênio, localizado a sudeste de Londres, Reino Unido.
Obra está localizada na Península de Greenwich, a sudeste de Londres, no Reino Unido.

Indústria têxtil e meio ambiente

O último relatório A New Textiles Economy, publicado em 2017 pela Fundação Ellen MacArthur, explica que a ascensão do fast fashion tornou as roupas descartáveis, especialmente nos últimos 15 anos, já que a qualidade da produção tende a ser baixa, enquanto a quantidade é duplicada.

Dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) apontam que o Brasil é o quarto maior produtor de malhas no mundo, sendo que a produção média de confecção no ano de 2018 foi de 8,9 bilhões de peças, incluindo vestuário, meias e acessórios, além do setor de cama, mesa e banho. Enquanto a produção média têxtil foi de 1,2 milhão de toneladas.

Desse total, o residômetro da SustexModa, atualizado pela última vez no dia 17 de março de 2020, estima que 6.340 toneladas de roupas pós-consumo e 23.824 toneladas de resíduos do corte da indústria têxtil do Brasil vão parar diretamente nos aterros sanitários da capital paulista.

Se você pretende colaborar com o meio ambiente e dar novas finalidades para os tecidos, porém não tão profissionais e específicas como as membranas utilizadas na criação de estruturas físicas da arquitetura têxtil, trouxemos algumas dicas de design de interiores para usar tecido de decoração:

Cachepô de tecidos para plantas

Ao invés de investir em um vaso novo e descartar o que já vem com a planta, o cachepô pode ser uma ótima alternativa para dar mais vida para a flor e reaproveitar retalhos de tecidos.

Veja também
reality moda

cachepô para plantar
O objetivo do cachepô é fazer com que apenas a planta esteja aparente. Foto: Pinterest.

Quadros de tecidos

Colocar os tecidos nas paredes, emoldurados ou pendurados, pode proporcionar ao ambiente um visual novo sem que seja necessário gastos exorbitantes.

Quadros feitos com tecido pendurados em área externa de casa.
Quadros são ideais para decorar áreas internas ou externas de lojas, apartamentos e casas. Foto: Pinterest.

Capas de tecidos para cadeiras

Além de proteger as cadeiras, as capas de tecido dão um charme a mais e não precisam seguir o mesmo padrão.

Capas de tecidos para cadeiras.
Além de ajudar na decoração, souplast impede contato dos pratos diretamente com a mesa e evita que respingos caiam sobre ela ou em toalhas. Foto: fornecida por Digitale Têxtil.

Sousplat e guardanapos de tecido

Quanto mais coloridos os tecidos utilizados na confecção de guardanapos e de sousplats, mais alegria na hora da refeição.

Souplasts produzidos por tecido.
Além de ajudar na decoração, souplast impede contato dos pratos diretamente com a mesa e evita que respingos caiam sobre ela ou em toalhas. Foto: fornecida por Digitale Têxtil.

Revestimento de móveis

Revestir os móveis com tecido é uma prática ideal e sustentável na hora disfarçar desgastes ou a pintura envelhecida do móvel.

Parte interna de uma gaveta decorada com tecido.
Decorar a parte interna do móvel também vale e ajudar a proteger a madeira. Foto: Pinterest.

Apesar de ser uma área com poucos profissionais com conhecimento especializado e a preferência por obras convencionais ainda ser grande, especialmente no Brasil, a arquitetura têxtil tem como principal atributo a estética, a agilidade e a modernidade.

Por essas características, a expectativa é que haja um crescimento de mercado nas próximas décadas, especialmente durante a realização de Copas e Jogos Olímpicos. Assim, as cidades poderão ganhar formas mais fluidas, leves, atraentes e iluminadas.

Gostou dessas ideias? Você pode até usá-las na decoração do seu atelier de costura, já pensou?

Inscreva-se na newsletter da Digitale Têxtil e receba semanalmente, diretamente no seu e-mail, mais dicas e informações sobre o universo dos tecidos e tudo que faz parte dele.


0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

Comentários

Comentários (0)

Deixe seu comentário.

Seu e-mail não será publicado.

Voltar para o topo